Publicado por: JotaAntunes | 16 agosto 2009

“É, a gente não tem que ter preconceito, mas filho meu eu não gostaria que fosse [gay].


aisaefalcão
aisabele.jpg.aisabele

Uma declaração despretensiosa com polêmicas da modelo Isabeli Fontana, feita no programa da Hebe Camargo, originou uma celeuma imprevista.
Numa entrevista onde versavam sobre preconceito contra gays, a modelo interagiu na discussão com a frase “Não tenho preconceito, tenho vários amigos gays, mas filho meu, eu não gostaria que fosse gay“.
Tá. Nem ela nem ninguém em sã consciência deseja que o filho nasça predestinado a ser uma futura vítima da sociedade e de suas acomodações (in?) evolutivas que fazem diferentes as pessoas e geram em si, os preconceitos.
Agora é com gays. E se chegarmos aos clones ou mutantes virão também com eles, os preconceitos.
O que ela fez de errado? Nada. Apenas que as pessoas dizem não ser preconceituosas mas poucos dizem o “desde que não seja comigo”. Ela disse.
E disse, fazendo uma expressão que dava a entender algo como “Olha, eu não tenho preconceito contra gays. Mas vocês entendem que aceitar, não significa desejar“.
Só isso. E agora, se dão a essa curiosidade desmedida com as palavras da moça. Sabem o que é isso?
São máscaras que caem. Máscaras que, segundo o escritor irlandês (gay) Oscar Wilde, as vestimos conforme o momento se apresenta.
E fazem uma catarse, uma expiação coletiva ante as inúmeras vezes que foram obrigados a passar atravessado pela garganta, sua afirmação de desprovidos desse preconceito.
Querendo ouvir a sinceridade, na simplicidade, de Isabeli Fontana, fazem por intimamente concordar: “Taí! Eu também! Eu também!”
Seria então, uma gigantesca máscara vestindo essa sociedade preconceituosa? A máscara de aceitandos da existência de seres de orientação homossexual?
Mas não se deve entender isso, a existência de máscaras, como algo maléfico. Faz parte do arsenal de defesas do ego.

aimcubadora
Na foto, uma das obras de Damien Hirst, o esqueleto na incubadora.

Fonte:www.clubeletras.net

Em tempo: Isabele, namora o Músico NEGRO Marcelo Falcão.

Anúncios

Responses

  1. Na ocasião que saiu essa matéria da fala da Isabeli Fontana cheguei a comentar isso com conhecidos gays e eles entenderam perfeitamente a lógica da situação. Não por sentirem-se culpados pela homossexualidade, não era esse o caso deles, mas pq era óbvio q se pudessem escolher não enfrentariam o q enfrentaram para buscarem a felicidade. É muito complicado, vc perceber que ao redor de sua filha, parte da família, amigos, vizinhos a maltratam verbalmente por sua característica de ser. Não é sua filha quem está errada e sim os outros.

    Meu amor seria independente de qualquer coisa. Como mãe lutaria cegamente para ajudá-lo nas dificuldades q ele pudesse enfrentar, inclusive lutando por um mundo menos intolerante a cada dia, sobe qq aspecto.

    Mas se fosse “torcer” com certeza optaria a qualquer característica que possibilitasse meu filho ou filha não ser discriminado, não sofrer nesse mundo tão atrasado ainda.

    É um papo muito indigesto, de entendimento frio. De fato é muito difícil q as pessoas aceitem. A linha de achar q isso é racismo é muito tênue. Ela foi sincera, como vc disse. Uma sinceridade tão sonora que choca as pessoas.

    Ela disse q é um “meio-preconceito”, ficou sem graça (deve ter se arrependido um pouco de ser tão sincera) também pela reação das pessoas, começou a se controlar no q disse. Mas dá pra entender a mensagem.

    Eu no lugar dela não teria comentado a tal ponto. Claro; na mídia, a gente acaba forjando minimamente um personagem, mesmo sendo ele baseado em vc próprio. No fundo o rapaz que estava do lado dela, optou por forjar como a maioria. A essência, no entanto, é sincera e é isso o q vale.

  2. Obrigaduuuuuu por seu comentário !
    FDS de Serenidade, misericórdia, graça e luz…

  3. SINCERAMENTE…
    EU NÃO DESEJARIA NEM NAS PRÓXIMAS ENCARNAÇÕES, SER MÃE DESSA Q.I. DE AMEBA!
    Tenho um lindo casal de filhos adolesentes, sempre falo que, se no futuro algum deles optarem por uma sexualiadade diferente da minha, terão meu apoio, amor e compreensão!
    E serei uma LEOA, na defesa de algum deles que venham sofrer discriminação por conta da sua opção sexual!
    Não desejaria ter um filho gay???
    E ainda se diz que não tem preconceito???
    NÃO PARIMOS FILHOS GAYS!
    PARIMOS SERES HUMANOS!
    SER GAY É UMA TENDÊNCIA E OPÇÃO DELES!
    Não que ter filhos gays???
    Simples…
    Não tenha filho algum!
    A HUMANIDADE AGRADECE!

  4. Putz, querem enfiar essa situação pela nossa goela a baixo de qualquer maneira. Que gente chata! Isso é preconceito contra os idosos, Eu não tenho nada com a vida dos outros. Mas eu também não gostaria ou desejaria um filho gay. Não posso mais idealizar um filho?? Que seja uma menina, por exemplo??? Respeitem minha cultura, meu tempo. Meus sonhos. Que ditadura é essa??? Estou sendo pressionada com essa merda não é de hoje…Ligo a TV, ando na praia, vou ao shopping, balada, samba, só se vê e se fala nesse assunto…jovens do mesmo sexo beijando na boca dentro do Metrô, no pátio das escolas, Como se heteros pudessem, como se isso fosse a coisa mais importante e natural do mundo…daqui a pouco em vez de desejar um neto(a) com saúde, vou ser obrigada a desejá-lo gay pra ficar na moda. Homens, mulheres e gays falem da Saúde com esse ênfase, sobre os hopitais, planos de saúde roubando todo mundo. Um protesto, uma passeata que preste!! Pelo amor a Deus ou ao Diabo!!! Só tem passeata monstruosa se for pelo gay ou pela maconha??? Lutar contra a homofobia e à “maconhofobia”, é uma coisa, fazer apologia é outra…O casamento já é uma coisa brega há tantos anos… de repente para gays é a coisa mais importante. Te contar, viu?? Tenho amigos gays, eles sabem do meu amor, mas é amor. Socorrer nas horas que o amigo precisa. Dar beijinho, carinho, esporro, chegar junto com uma grana, aceitar quando preciso, não deixar ninguém falar mal deles na sua ausência, e se encostar a mão neles injustamente eu chego com uma voadora pra matar ou morrer. Em caso de óbito dar apoio à família mesmo sem conhecê-la, em respeito à memória do amigo. São pessoas que dependiam dele, que ele amava. Sejam heteros ou homos!!! Sou assim! Mas não venham me obrigar a aceitar o que eu não quero PRA MIM,PORRA!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: