Publicado por: JotaAntunes | 12 fevereiro 2011

Compreendendo melhor como viver a Terceira Idade, na opinião da Terceira Idade


“Ninguém, por ser muito velho, deve considerar-se um ” inútil” e aos anos vividos não concedam o direito de mostrar-se desanimado e desagradável. Para os velhos que, como os jovens, costumam enganar-se com muita frequência, ofereço, humildemente, estes dez conselhos”.

1o Conselho do Sr. Galbes: Não renuncie às tuas ocupações muito cedo. A maior parte dos “Anciões” cruzam os braços quando ainda possuem energia suficiente para a luta, sem compreender que a atividade é “Vida”. O verdadeiro elixir da juventude eterna é o dinamismo, que não permite que envelheçam os que executam um trabalho, com habilidade e prazer. Muitos velhos chegam a converter-se numa praga entre os seus porque, não tendo ocupação e interesses próprios, acabam se metendo nos assuntos dos outros. Com essa intromissão impertinente e oficiosa, procuram fugir da falta do que fazer.

2o Conselho: Não mores com teus filhos. Tenhas teu próprio Lar, mesmo que seja somente um “quartinho”. Ali poderás fazer o que quiseres e gozar de “Liberdade e Independência”, ao invés de ser obrigado a andar na ponta dos pés para evitar atritos desagradáveis com “noras”, “genros”, “netos”, “teus filhos” e tantos outros “parentes”. Os pais que renunciam ao seu Lar para aceitar o do filho não apreciam a sua felicidade nem a dele.

3o Conselho: Mantenhas o governo de tua bolsa. Ajuda a teus filhos financeiramente, na medida de tuas posses, mas reserva-te sempre uma parte do teu dinheiro. Não cometas o erro de ceder a teus filhos todos os teus bens em troca da promessa de que cuidarão de ti. Um bom filho não permitirá isso e um filho ambicioso é mais temível do que um inimigo. Não esqueças que na velhice, o melhor amigo é um dinheiro bem guardado.

4o Conselho: Cuida de tuas amizades velhas e não desdenhe as novas. Os amigos nos oferecem um bom meio de alegrar a solidão. Cultiva a arte da amizade como uma planta rara, com os melhores cuidados. Mostra-te atento às pessoas que conheces e procures não esquecer as datas importantes de suas vidas. Anote numa pequena agenda sentimental. Alegra-te com suas alegrias, acompanha-os nas suas tristezas e nunca precisarás queixar-te de estar demasiadamente só

5o Conselho: Cuida da tua aparência e trata de mostrar-te sempre o mais atraente possível. Muitos velhos pensam que a idade lhes concede o privilégio de vestirem-se de qualquer maneira e até de descuidarem-se dos preceitos elementares de higiene. Esquecem-se dos alfaiates, modistas, cabeleireiros, barbeiros. Exibem caspa na gola do paletó e manchas de gordura na camisa revelam o cardápio da semana. Alguns chegam mesmo a desprezarem o uso de água e sabão.

6o Conselho: Se teus parentes moram distantes, restam-te os vizinhos. Um bom vizinho é um tesouro e como tal devemos descobri-lo e cuidá-lo. Se queres que teu vizinho se preocupe contigo amanhã e, se caíres doente, possa levar-te o clássico “copo d’água”, preocupa-te com ele hoje e demostra-lhe que podes ser útil de várias pequenas maneiras. Teu gesto amigo poderá ser retribuído no momento que mais necessitares.

7o Conselho: Não tentes dirigir, sob qualquer pretexto, a vida de teus filhos adultos. Eles são seres com cérebro, coração, vontade e com muitos anos para cometerem seus próprios erros e adquirirem experiência. Lembra-te que o fato de que os pusestes no mundo não implica que eles sejam necessariamente iguais a ti. Dá-te conta que eles possuem, gostos, inclinações, hábitos e inteligência própria e que os tempos mudaram. Muita coisa que na tua juventude era considerada sensata, hoje é encarado como ultrapassada e, em alguns casos, até mesmo estupidez. Não dê palpites, reserva-te o direito de responderes quando perguntado e serás ouvido.

8o Conselho: Não te deixes dominar pelo vício mais comum da velhice que é a “Presunção”. Não és um sábio somente porque fizeste oitenta anos. Podes teres vivido esse tempo sem acrescentares sabedoria ao teu viver e chegas ao fim da tua jornada tão estúpido como no início dela. Se realmente cresceste, deixes que a Humildade seja tua marca mais forte.

9o Conselho: Não creias que tua idade avançada te concede o direito de mostrar-te desagradável. Evites o mais possível ser um desses velhos rabugentos, mau humorados, ásperos, cujas famílias não conhecem um minuto de paz… Lembra-te que toda paciência tem limite e que não há nada de agradável em desejarem nossa morte. Nem para eles nem para ti.

10o Conselho: Não sejas “PALIFICANTE”. Não conte a mesma história três, quatro, cinco vezes, se não queres que se afastem de ti. Guarda tuas memórias e reminiscências e não as evoque a cada momento, esperes que a solicitem. Aprendas a apreciar o silêncio e, enquanto puderes “LER”, não tens necessidade de enfastiares os outros com tua conversa repetitiva.

Dr. Conceil Corrêa da Silva
Médico Psiquiatra, Escritor e Presidente da Associação Brasileira de Estudos das Inteligências Múltiplas e Emocional® (ABRAE)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: