Publicado por: JotaAntunes | 1 maio 2011

DEPUTADO GILBERTO PALMARES EM CONJUNTO COM O SINDICATO DOS BANCÁRIOS- EX-FUNCIONÁRIOS DO BANERJ DEMITIDOS EM 30 DE MARÇO DE 1996 – REFLEXÕES DOS EXCLUÍDOS, NO DIA DO TRABALHADOR!


“SE ALGUM DIA VOCÊS FOREM SURPREENDIDOS PELA INJUSTIÇA OU PELA INGRATIDÃO, NÃO DEIXEM DE CRER NA VIDA, DE ENGRANDECÊ-LA PELA DECÊNCIA, DE CONSTRUÍ-LA PELO TRABALHO.”
(Edson Queiroz)

A reunião realizada na ABANERJ, em 16/04/2011
Fui, ouvi e falei!
MINHAS LAMENTAÇÕES…

Foto: Flavio Lirio Antunes


Germinio Ribero Filho, Ronald Carvalhosa, Deputado Gilberto Palmares e outros membros de entidades sindicais - Foto: Jotaantunes


“Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas… continuarei a escrever”
Clarice Lispector

Os Dois Caminhos

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem”
Mt 7: 13- 14.

Meu ingresso no BEG foi por uma porta extremamente estreita. O Ano era de 1974, uma subsidiária do BEG/EPSA – Empreendimentos de Prestações de Serviços Administrativos, a referida empresa com o mesmo endereço Avenida Nilo Peçanha, nº 175/15º andar, era na verdade meu domicílio empregatício. Cheguei ao tal endereço após passar por uma empresa privada de Recursos Humanos que em seu anúncio em um jornal carioca informava que após uma seleção para motorista transportador de numerários.

Foram dois anos como funcionário da EPSA. A mesma foi liquidada e, seus funcionários foram transferidos para o BEG – Banco do Estado da Guanabara S/A.

A informatização ainda não existia com isso uma frota de 70 veículos faziam os transportes de cheques e notas promissórias para a compensação. A troca era efetuada no Banco do Brasil, no Centro de Processamento, na Agência Candelária do referido Banco.

Com o advento da fusão do Estado da Guanabara e Estado do Rio de Janeiro.

O novo BANERJ abre um convênio com o curso Paulo de Tarso, para ser escriturário. As provas de contabilidade eram o “bicho papão” dos alunos.

Foram dois anos sem férias, que estudávamos no 10º andar do BANERJÃO com a supervisão do DESEP, Departamento de Seleção de Pessoal.

Rosinha e Ignácio Morgado eram os gerentes de pessoal e cobravam as frequências, semana após semana, pois, caso houvessem faltas o aluno era devidamente eliminado do CURSO PAULO DE TARSO.

Finalmente, em 1978 houve o concurso, os quais participaram também funcionários dos extintos Banco Halles e Banco Nobre. Fui aprovado! Passei pelas Agências: Barra da Tijuca, Leblon, Humaitá. Entretanto, para ter um ganho financeiro, durantes uns 7 anos fazia hora extra na GEPRO, como ‘Operador Data Entry’. Não se faz necessário colocar que ainda me sobrava algum tempo para participar de reuniões políticas na clandestinidade, pois, o Sindicato dos Bancários ainda vivia sob o domínio dos interventores – Era um sindicato Proscrito.

Foi por intermédio do Ronald Barata, Isaac Domingos, Hedilberto Veras e outros companheiros que me filiei ao PDT, e lançamos candidatos Bancários como Antônio Pereira Filho, Brandão Monteiro, Acácio Caldeira e Carlos Alberto Caó.

Não pertencia ao alto clero dos notáveis comunistas e neo-comunistas. Porém, fui um grande “tarefeiro”. Central do Brasil, Estação de Barão de Mauá, Estação das Barcas, alguns estaleiros de Niterói, e portas das fábricas De Millus e Du Loren eram o meu ponto de “panfletador”.

Bem, tenho por certo que, minha porta foi realmente estreita.

Até que, em 31 de março de 1996, recebi minha carta de dispensa dos quadros de funcionários do BANERJ, das mãos do Sr. Ary Duryeis, representante, digo, fiel representante da guarda pretoriana dos verdugos do Banco Bozzano Simonsen (Os saneadores do BANERJ).

Minha perplexidade ficou ainda mais aflorada quando fui convidado por intermédio de um e-mail para uma reunião na ABANERJ, o qual membros das entidades sindicais e o DEPUTADO ESTADUAL GILBERTO PALMARES fariam uma exposição referente ao PROJETO DE LEI Nº 3213/2010 da autoria do referido parlamentar com o título DISPÕE SOBRE OS PARTICIPANTES DA CAIXA DE PREVIDÊNCIA DO SISTEMA.

“Desde o primeiro momento da nossa demissão (OS INDIFERENTES de 1996) ficou bem definido que, dentro de um contexto de maior abrangência, envolvendo milhares de empregados do antigo sistema BANERJ, houve uma coação coletiva com o nítido propósito de compelir-nos a aceitar, dentre outras condições iníquas, o malsinado, termo de resgatar os míseros tostões da PREVI BANERJ.

A GRANDE VERGONHA
A Dor, o desespero, a indignação, a perplexidade, o abandono, a lenta justiça do trabalho e a desolação diante das incertezas quanto ao futuro, tomou corações e mentes de amargura.

Suicídios, cânceres, doenças cardiovasculares, psicológicas, etc. O Número de óbitos de mulheres e homens com 50 anos foram AVASSALADORAS.

Vergonha de alguns companheiros nas salas frias da Polícia Federal e das auditorias do INSS. Advogados inescrupulosos buscavam como abutres os fragilizados, com a promessa de “acelerarem” suas aposentadorias. Boa parte deu aos verdugos uma parcela de suas verbas rescisórias e ainda sofreram sanções penais.

Um verdadeiro caos emocional, não somente dos Ex-bancários, como também de seus familiares. Não obstante claro, famílias foram destruídas.

Atenção Obs:
Caso algum funcionário de bancos estaduais e/ou estatais forem chamados para depor na auditoria do INSS ou na PF, não contratem advogados, salvo melhor juízo, se o escritório não for da sua inteira confiança. Se a companheira e o companheiro foram lesados no passado e provarem que seus bens, bem como sua renda é mínina para sua subsistência e, mal dá para sua sobrevivência, procurem imediatamente a Defensoria Pública Federal. Ali, tenho por certo, receberá todas as garantias processuais e informações gratuitamente.
Não se desespere, mantenha a fé no Grande Pai e Criador Universal.”

Prestei um concurso público, me preparei para tal: estudei um ano contabilidade, matemática financeira e datilografia. Não ingressei no BEG por indicação ou apadrinhamento político.

“Pretendemos caros companheiros sindicalistas, nos ver reconhecidos no presente PROJETO QUE DISPÕE SOBRE OS PARTICIPANTES DA CAIXA DE PREVIDÊNCIA DO SISTEMA BANERJ – PREVI-BANERJ” Acresce, ademais, que “não se trata de ato jurídico anulável, mas, sim, de pleno direito, cujo reconhecimento seria na verdade um melhor estudo referente à questão em tela.”

Ora, eis aí, no início deste manifesto, a citação da assertiva narrada por MATHEUS, na Bíblia Sagrada: Os dois caminhos e a porta estreita.

O Sindicato dos Bancários o qual fui um ativista por 21 anos, detêm em seus quadros jurídicos os mais renomados e experientes advogados. Será que, não poderiam ter estudado uma “brecha jurídica” para contemplar também os mártires dos Ex-BANERJIANOS que foram demitidos em março à dezembro de 1996?

Os critérios foram jurídicos e/ou políticos? Que respondam vossas consciências!

Largaram a própria sorte esses ex-funcionários o qual eu me incluo?

Tantas brechas e procrastinações jurídicas existem até hoje no judiciário… Fomos largados nas pávidas geenas tal qual matéria FECAL!!!

Vale ainda salientar que, o nobre companheiro Dr. Gary Bom Ali de Oliveira em mais de 1500 ações, ganhou duas liminares e, ainda continua brilhantemente tentando outras sem cobrar um só centavo. Seria Gary Bom Ali um altruísta ou um Thomas More: o autor de a “Utopia.

O humanismo renascentista claro que, não mais existe, entretanto, GARY ao menos tentou. E ainda, está tentando…

Quais os motivos que não foram colocados para o DEPUTADO GILBERTO PALMARES que, todos os Ex-Funcionários do BANERJ SEGUROS foram “contemplados” com o saque da REVERVA MATEMÁTICA ainda no ano de 1996?

Dou prosseguimento a minha pergunta? Não existiria como estudarem as “brechas” da lei? Ou o ato foi puramente político? Não posso colocar qualquer intenção para afirmar que o autor da lei, o fez propositalmente. O Deputado Gilberto Palmares não foi bancário, não conheceu todas as lutas da nossa categoria. Foi ele a meu ver, mal admoestado. Tenho por certo que, teremos brigas jurídicas intermináveis, pois, a JUSTIÇA é DURA LEX SED LEX – porém lenta… Graças a uma não REFORMA NO JUDICIÁRIO.

Simplesmente triste e lamentável…

Anúncios

Responses

  1. Incansável sua luta amigo Antunes.
    Acabei de recebe o belo text. Não me contive e aqui estou para além de fazer das suas palavras referentes aos excluídos e ainda suas lamentações.
    Continuas o mesmo ANTUNÃO.
    Estarei divulgando para meus contatos pessoais e autoridades comprometidas com a verdade.

    Uma beijo e um abraço .

  2. Querido,
    Antunes.

    Meu abraço.

    Não se sinta execrado de outras Comunidades,

    • Caro chiquinho.
      “OS CÃES LADRAM, A CARAVANA PASSA”
      Abrigaduuu por seu comentário

  3. Senhor Chiquinho,
    A luta do meu pai é uma verdade. Ele só não é CABO ANSELMO ok ?
    Quanto serexecrado … Meu pai não foi, a não ser uma comentário de uma louca e mal amada.
    O Blog é um sucesso. Pois o mesmo conta com 300 mil visitas.
    Seus filhos e netos darão continuidade ao seu trabalho
    Quem sabe JOTAANTUNES 2012 heheheheheh

  4. Caro antunes você não foi execrado de outras comunidades do Orkut.
    O “banimentos” faz parte das armas dos covardes.
    Não vejo qualquer tipo de ataques pessoais em tudo que que tenho lido.
    Parabéns

  5. Olha o corporativismo ai Antunes.

    Agora já existem brexas para quem se aposentou de 01/11/96 a 01/06/97

    PS.: copiei da comunidade” BANERJ-EX FUNCIONÁRIOS”

    “Para ex-Banerjianos – Demitidos

    URGENTE

    PROCURO COLEGAS DEMITITOS ENTRE 01/11/96 a 01/06/97 PARA ENTRAR CONJUNTO NO MINISTÉRIO PÚBLICO POIS NOSSA DEMISSÃO FOI INCONSTITUCIONAL.
    PORÉM NECESSITAMOS DE UM MÍNIMO DE 5 COLEGAS POIS COMO O PRAZO DE RECURSO ESTADUAL EXTINGUIU-SE COM 10 ANOS, E LÁ SE VÃO 14, PARA ENTRARMOS NA ESFERA FEDERAL ONDE O PRAZO É DE 20 ANOS PRECISAMOS DE NO MÍNIMO 5 COLEGAS EM IGUAIS CONDIÇÕES.
    ATÉ O MOMENTO JÁ IDENTIFICAMOS 3 COMIGO.
    AGUARDO RETORNO,
    (Mariza Sorriso)

  6. URGENTE

    PROCURO COLEGAS DEMITITOS ENTRE 01/11/96 a 01/06/97 PARA ENTRAR CONJUNTO NO MINISTÉRIO PÚBLICO POIS NOSSA DEMISSÃO FOI INCONSTITUCIONAL.?????????????

    Porra quem foi demitido na dia 30 de marcço de 1996 foi constitucional ?????
    “Não entendi o enredo desse samba”.
    Aperta o botão do fod-se caro Antunes.
    Perdeu- perdeu!

  7. Parabéns Antunes, é digna a sua luta. Continue…..

    • Obrigado Charles.
      Brother vc também é um grande guerreiro.
      Axé

  8. Olá Antunes,
    Em primeiro lugar, obrigada por sua incansável convocação por intermédio do seu blog.
    ELES ficaram surpreendidos com o auditório completamente lotado da nossa querida ABANERJ.
    Fiquei surpresa em ver você ali falando de improviso e ainda fazendo suas citações bíblicas. Rsrsrsrsr
    Como você falou: Não estou morto politicamente aqueles que assim pensam. Claro que você não está morto meu amigo. Bem como ainda, sempre elegante.
    Parabéns. Já estou solicitando por intermédio de e-mails aos companheiros e companheiras para lotarem as galerias da ALERJ quanto for marcada a votação.

    Um grande abraço, um beijo.
    Sua luta, jamais será esquecida.
    ANTUNES te amo viu? Não vá se abater com 1/2 dúzia de críticas. Ou você não escutou os aplausos?

    • Grato por seu comentário
      Luz,paz e serenidade em sua vida.
      Abraços

  9. QUEM SAIU NO 1º PDV ?

    Colegas que sairam no primeiro PDV fevereiro de 1996, desses ninguém comenta nada,parece até que não faziam parte do BANERJ, e foram os mais precionados com ameaças diversas.
    Quando cheguei na PREVI, eles nem sabiam o que fazer a unica afirmação era que que quenm não tvesse 20 anos de Banco não podia congelar a PREVI, eu com quase 18 anos tive direito a R$ 4,462,63 descontando o empréstimo e IR, fiquei com R$ 1.410,66 conforme recibo em meu poder.
    Agora surgem pespectiva de oportunidade para uns e não para todos.
    Isso é correto, somos filhos bastardos.
    Nos discriminados do PDV, sempre apoiamos qualquer iniciativa construtiva para todos os BANERJEANOS, acho que essa é a hora dos nossos colegas intercederem a nosso favor, não deixando ninguem de fora.
    Abraço a todos MORAES DETRA/GEMAT

    • Caro companheiro,

      Eu proponho uma vigília ema nota para o GOVERNADOR e o Presidente da ALERJ

      • Para que a manifestação obtenha exito, teriamos que nos organizar e formar um grupo com um número significativo de colegas que se encontram na mesma situação.

    • Não espere que os “abençoados companheiros” para nossa luta irmão… Temos que ir a luta com nossa força, enm que cheguemos ao STJ e ao STF…

  10. Sempre as mesmas sacanagens. Não perca seu tempo. Nosso tempo se foi para as cucuias meu caro..

  11. O pessoal demitido até março de 1996 ?
    Todos já estão mortos?
    Ou partiremos para o ataque?
    Abraços

    • eu fui demitida em 19/03/1996, e estou viva, só gostaria de saber porque uns tem direitos e outros não, eu não entrei pela janela e nem vim de outras empresas, eu fui concursada em 1978, e ainda esperei dois anos para entrar, gostaria de ter direitos também.

  12. Todos já estão mortos?
    Os demitidos em 30 de martos ?
    Ninguém fala nada?
    Como sempre “mudos”

    • O dia 19/03/1996 tiveram aproximadamente 3.500 demissões, e o famoso Sindicato não fez nada, estou cansada de ir até á revindicar alguma coisa e eles falam tem aguardar, aguardar o que? a boa vontade de fazer algo pela classe.

  13. Valeu antunes, quem foi demitido até 30 de março de 1996 foram realmente excluídos.
    Além de escrever no seu blog, estou mandando a cópia para vários jornalistas e , para o MPE.
    Um descaso por parte dessa turma do sindicato.

  14. Antunes

    Eles estão juntos e mistutados .
    A trama foi feita para calar a minha, a nossa voz.
    Sempre foi assim
    Abração

  15. Para de ser sonhador cara.
    Se vc. retirou sua reserva? Pronlema seu.
    Passar bem

    • Obrigado por ter acessado o Blog. abocalivre.
      Luz e paz no seu coração

  16. A Paz Senhor
    Jose Antunes,

    Fui admitido na Copeg em 01/08/1973 e fui o primeiro funcionario demitido sem ser por justa causa em 05/10/1995, pelo então interventores do Banco Central no Banerj. Passei pelos quadros do Banerj quase 21 anos, onde vimos muitas coisas, participamos de muitos momentos, bons e maus, fui gerente na area contabil das coligadas desde 1977.
    Agora o que mais eu vi dentro do Banerj foi que a maioria das pessoas só pensavam em si mesmo, nunca vi unidade, esta so existia se favorecesse, senão nada feito. Antunes, pessoas iguais a voce, no dia que estiverem por cima, serão citadas, que sorte teve o Antones, no Banerj era isso agora é jornalista, etc. Em salmos Davi, pede ao Senhor ” SalmosCapítulo 27Versão João F. Almeida Revista e Atualizada1 O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O SENHOR é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?2 Quando malfeitores me sobrevêm para me destruir, meus opressores e inimigos, eles é que tropeçam e caem.3 Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança.4 Uma coisa peço ao SENHOR, e a buscarei: que eu possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do SENHOR e meditar no seu templo.5 Pois, no dia da adversidade, ele me ocultará no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo, me acolherá; elevar-me-á sobre uma rocha.6 Agora, será exaltada a minha cabeça acima dos inimigos que me cercam. No seu tabernáculo, oferecerei sacrifício de júbilo; cantarei e salmodiarei ao SENHOR.”.
    Siga em frente, conte comigo, continuo na luta e profetizo o mesmo para voce.
    Fique com a Paz do Senhor,

    • Lua e paz meu brother

  17. Sai do Banerj no primeiro PDV, e creio firmemente que se nos reunirmos, pelo menos mensalmente, conseguiremos alguma coisa! Foi injusto, mas atendeu às expectativas dos grandes, e eles estão maiores agora! Vcs lembram quem era o presidente da Alerj e que era o seu braço direito? Então esses mesmos que mandaram a policia montada em cima de nós trabalhadores concursados, se logupletaram com a venda do nosso Banerj e continuam no poder hoje, mais fortes, incólumes. Então não tenha ilusão, se não houver uma forte organização nossa … fracassaremos! Deputado Palmares precisamos de sua ajuda !

  18. Trabalhei no Banerj no período 1982 a 1999.
    Demitido pelo Itaú, entrei com ação (Plano Bresser e horas extras) através do Dr. Nelson Lima, porém nada foi favorável.
    Gostaria de saber se existe ainda (muito difícil mas não impossível) uma “luz no final do túnel”.
    Abraços,
    Julio Cesar (Depro nº 21.586.4)

  19. QUERIDO AMIGO ANTUNES, COMOVENTE A HISTÓRIA, E AO MESMO TEMPO REVOLTANTE MESMO… FUI BANCÁRIA DO SULBRASILEIRO E UMA DAS LÍDERES DO MOVIMENTO PELA CRIAÇÃO DO BANCO MERIDIONAL DO BRASIL. LUTAMOS MUITO E DEU NO QUE DEU, FOI VENDIDO, MUITOS COLEGAS DEMITIDOS INJUSTAMENTE, QUE AINDA CONTINUAM NA LUTA PELA INCLUSÃO DOS MESMOS, ALGUNS JÁ CONSEGUIRAM, GRAÇAS A LUTA TBM DE ADVOGADOS E AMIGOS QUE ATÉ HOJE NÃO PERDERAM A ESPERANÇA.
    ESTOU CONTIGO, PELA VITÓRIA DE TODOS.
    UM GRANDE ABRAÇO, BEIJOS NO TEU CORAÇÃO!!

  20. O Colega Antunes pergunta se o advogado Gary é altruista e eu digo ele não é só isso. Ele é Humano, verdadeiro, bom, amigo e uma pessoa maravilhosa, ou seja sou fã desse homem.

  21. Fui demitido em 1996 mes de junho.Como está a situação do pessoal demitido!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: