Publicado por: JotaAntunes | 3 outubro 2012

A MORTE DO PASTOR CABO BRUNO


 Cerimônia que o tornou pastor teve duração de 2h30 e contou com a participação de pastores, carcereiros do presídio e ex-detentos convertidos Foto Maira Vieira/AE
Assisti no FANTÁSTICO 30 de setembro de 2012, uma entrevista com a esposa do CABO BRUNO, ex- policial paulista que ficou preso por 27 anos e, réu confesso de 50 execuções praticadas.
Cabo Bruno aparece em um vídeo da igreja a qual se converteu, falando para os fiéis que, o SENHOR HAVIA APAGADO seus pecados.
Tenho recordações de um momento da minha vida em que por 2 ano estudei o texto o LADRÃO DA CRUZ.

Doutor Lucas 23:32-43 contou tal história de Jesus e dois ladrões na cruz.
Um desses ladrões mostrou uma atitude íntegra para com Jesus e lhe pediu uma bênção futura. “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” foi à resposta que Jesus lhe deu. Este é o parágrafo mais “consolador da Bíblia para muitas pessoas.”
Para muitos, este é o modelo da conversão. Eles concluem que o ladrão foi salvo e que tudo o que se precisa fazer para se salvar hoje é, quando estiver morrendo, clamar a Jesus por misericórdia. Neste breve artigo não estamos tentando determinar se o ladrão foi salvo ou não ou o que significa ele estar no paraíso com Jesus. Contudo, mesmo que esta conclusão de que o ladrão foi salvo fosse correto, não significa necessariamente que as pessoas podem ser salvas da mesma maneira hoje. Por quê?

Um motivo que a conclusão de que os homens podem ser salvos como o homem na cruz é questionada é que Jesus ensinou claramente que, para serem aceitáveis a Deus, os homens devem fazer o que Deus manda.
Leia cuidadosamente Mateus 7:21-27.“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade. Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína”.
Assim podemos seguramente dizer que a conclusão de que os homens podem ser salvos como o ladrão da cruz não esteja em harmonia com os ensinamentos de Jesus.

A Lei de Moisés ainda tinha efeito

Outro motivo que a conclusão de que os homens podem ser salvos hoje como o ladrão na cruz é questionada é que, na época deste incidente, a Lei de Moisés ainda tinha efeito. Jesus ainda não havia morrido na hora em que esta conversa com o ladrão ocorreu. O Velho Testamento foi tirado do caminho quando Cristo morreu. Observe, por favor, que o apóstolo Paulo usou a ideia de morte e a união matrimonial para mostrar como morreu o Velho Testamento: “Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida? Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal. De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias. Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus” (Romanos 7:1-4). Efésios 2:12-16 e Colossenses 2:13-14 e outras passagens ensinam a mesma coisa. Na época em que Cristo viveu, ele podia perdoar os pecados como achasse melhor. Em Lucas 19:1-10, Jesus perdoou uma pessoa dos seus pecados. Em Mateus 9:1-8, vemos outra pessoa cujos pecados Jesus perdoou. Estes e outros Jesus podiam perdoar como ele achasse melhor durante o seu ministério. Mas isso não influencia de modo algum, a maneira em que podemos ser salvos hoje, pois tudo isso ocorreu enquanto o Velho Testamento ainda tinha efeito.

A verdade é que se pudesse comprovar que o Velho Testamento vale ainda hoje, de qualquer forma ainda não ajudaria a maioria de nós em muita coisa. A maioria que lerá este material é de descendência dos gentios e não seria inclusa nas bênçãos do Velho Testamento, pois o Velho Testamento foi dado aos judeus e somente os judeus (Deuteronômio 5:1-3). Assim, mesmo que o Velho Testamento ainda tivesse efeito hoje, a maioria dos homens não poderia ser salva como o homem na cruz.

Outro motivo que a conclusão de que os homens podem ser salvos hoje como o ladrão na cruz é questionada é que o Novo Testamento ainda não tinha efeito na hora que isso ocorreu. A morte de Jesus tinha de preceder o seu testamento, para que tivesse efeito: “Por isso mesmo, ele é o Mediador da nova aliança, a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sob a primeira aliança, recebam a promessa da eterna herança aqueles que têm sido chamados. Porque, onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador; pois um testamento só é confirmado no caso de mortos; visto que de maneira nenhuma tem força de lei enquanto vive o testador” (Hebreus 9:15-17). Assim hoje, é impossível as pessoas serem comparáveis ao ladrão da cruz, porque ele viveu sob o Velho Testamento e os homens de hoje estão sujeitos ao Novo Testamento.

Salvos pelo evangelho

Se os homens são salvos hoje, a sua salvação tem de ser pelo evangelho (Romanos 1:16; João 8:32; Marcos 16:15,16; 1 Coríntios 15:1-3). Há muitos exemplos de conversão que ocorreram depois de Cristo morrer e o Novo Testamento se tornar efetivo. Por que não ter segurança e certeza? Em Atos 2, aprendemos que as pessoas que queriam ser salvas tinham de saber certamente que a mensagem do evangelho foi assim, e então precisavam se arrepender e ser batizadas para a remissão dos seus pecados. Em Atos 8:26-39 o homem, depois de ouvir o evangelho, acreditou e foi batizado. Em Atos 18:8 lemos, “Muitos dos coríntios, ouvindo, criam e eram batizados.” O evangelho salvou os romanos quando eles o obedeceram. “Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Romanos 6:17-18).

As pessoas, hoje, precisam ouvir o evangelho, se arrepender dos seus pecados, confessar a sua fé em Cristo como o Filho de Deus, e ser batizadas para a remissão dos pecados. É um erro basear a esperança num incidente que ocorreu enquanto o Velho Testamento ainda regrava os judeus e enquanto os gentios eram estrangeiros da região de Israel e sem esperança e sem Deus neste mundo.
Hoje, após 50 anos em que me foram admoestados tais ensinamentos no Seminário Teológico Batista Brasileiro- (minha mãe sonhava que eu seria pastor) Risos ! Não tenho dívidas que CABO BRUNO FOI SALVO por esse mesmo JESUS dos protestantes, católicos e ortodoxos.
Entretanto, os parentes das suas vítimas, nem EU pensaríamos assim.
Ele pagou sua pena junto à sociedade, e pagou com sua vida seus erros irreparáveis diante do Grande Arquiteto do Universo e nos corações e mentes de quem perdeu um ente querido para os matadores que infestam essas plagas chamas Brasil. Isso aqui esta um mata-a- mata! E ainda, JESUS não pode apagar os processos desses assassinos.
 Cabo Bruno foi capa da Revista 'Afinal' de 20 de novembro de 1984 Reprodução

Anúncios

Responses

  1. O que o Cabo Bruno achou?
    Que matar 50 não causaria o surgimento de mais 50 mil?
    Que os filhos o netos das suas vítimas nasceriam “anjos”?
    Ele apenas teve de volta a exata medida da violência que praticou em vida!
    A Lei “Causa e Efeito” amigo José Antunes!
    Ninguém escapa dela!
    Nem adianta se esconder port trás de alguma conversão!
    Não se trata aqui nem de se questionar a sinceridade dessa conversão!
    Mas do seu passado de violência não ter sido morto nessa sua conversão!
    Estava mais vivo e violento que antes de ser preso!
    “Violência gera violência”!
    Alguma dúvida das veracidades dessas palavras?

  2. “Tudo que o homem plantar, isso também colhera´”. É fato. Não conheci o Bruno para julgá-lo. Creio que Deus pode sim perdoar um homem e torná-lo nova criatura, agora quanto a ser pastor, tenho minhas dúvidas. Se ele o foi, com certeza é porque o nome pastor hoje em dia não passa de simples titulo. Biblicamente devera ser de conduta ilibada. E ao meu ver não houve tanto tempo para uma análise desse cidadão. Contudo; ele se aplica ao que já foi exposto “Colheu o que plantou”. Afinal, “Quem semeia ventos colhe tempestade”.

  3. Eu crei em Deus sobre todas as coisas., Agora essa de vc pintar e bodar e depois levantar o dedo ou a mão com branço e tudo., e dizer que está salvo e que vai para o ceu., esse partido eu não como ., tenhe que pagar aqui mesmo para ser Feliz e subir com menos pegados.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: